Bibliografia

Aquela Viagem - Papel D'Arroz

Aquela Viagem – Ler é Viajar com os olhos – Coletânea

Editora: Papel D’Arroz
Data de Lançamento: Novembro 2014
ISBN: 9789898629821
N.º Páginas: 214

Sinopse:

Coletânea de viagens, aquelas que nos marcaram, ou as que gostaríamos de fazer.

Patas, Pêlos e Penas - Pastelaria Stúdios Editora

Patas, Pêlos e Penas – Histórias do Fiel Amigo – Coletânea

Editora: Pastelaria Estúdios Editora
Data de Lançamento: Outubro 2014
ISBN: 9789898629821
N.º Páginas: 214

Sinopse:

Coletânea de contos, história, sobre os nossos animais de estimação; os nossos melhores amigos, aquelas tropelias intemporais e que nos ficam na memória.

Entre o Sono e o Sonho - Antologia de Poesia Contemporânea - Vol V

Entre o Sono e o Sonho – Antologia de Poesia

Contemporânea IV

Editora: Chiado Editora
Data de Lançamento: Março 2014
ISBN: 9789895113644
N.º Páginas: 1390 (Tomo I e Tomo II)

Sinopse:

PELA CULTURA É QUE VAMOS…

Entre o Sono e o Sonho» antologia mais de oitocentos poemas e autores portugueses contemporâneos. Através da poesia estamos diante de diversos registos e de muitas vozes que protagonizam a nossa cultura contemporânea. Através das vozes múltiplas procuramos chegar a uma «língua de várias culturas e a uma cultura de várias línguas». Mais do que país de poetas, temos de compreender-nos como caleidoscópio de influências, de leituras e de sensibilidades. E sentimos ao longo destas páginas a língua, a leitura e a literatura do português.

 

 

7 Pecados - Pastelaria Studios Editora7 Pecados - Tomo II - Pastelaria Studios Editora

7 Pecados – Antologia de Contos

Editora: Pastelaria Estudios Editora
Data de Lançamento: Outubro de 2013
ISBN: 9789898629401 | 9789898629418
N.º Páginas: 611 (Tomo I e Tomo II)

Sinopse:

A escrita em torno dos 7 pecados capitais, ao ritmo de conto e apimentada com o talento dos nossos escritores. Um livro para fazer despertar a reflexão sobre os nossos instintos, celebrando a escrita no seu estado puro.

Booktrailer:

Tecendo Nós

Tecendo Nós – Antologia de Contos Goodreads

Editora: Smashwords
Data de Lançamento: Junho 2013
ISBN: 9781301661732
N.º Páginas: 110

Sinopse:

Tecendo Nós é uma pequena antologia de contos criados para celebrar o primeiro aniversário do Clube de Leitores em Português, um grupo criado na comunidade Goodreads. Todos os contos encontram-se subordinados ao tema Imaginação vs Realidade, sendo que cada um dos autores teve plena liberdade quanto à sua interpretação.

Antologia de  Poesia Contemporânea 'Entre o Sono e o Sonho IV'

Entre o Sono e o Sonho – Antologia de Poesia

Contemporânea IV

Editora: Chiado Editora
Data de Lançamento: Março 2013
ISBN: 9789895102891
N.º Páginas: 1204 (Tomo I e Tomo II)

Sinopse:

Nesta obra de 1200 páginas está representado o trabalho de aproximadamente 1000 poetas poetas contemporâneos portugueses. Trata-se de uma obra plural, representativa da diversidade poética portuguesa e obrigatória em qualquer biblioteca de poesia!

Amor Carnal - Capa - 3D
Amor Carnal

Editora: Alfarroba
Data de Lançamento: Fevereiro 2012
ISBN: 9789898455307
Dimensões: 14 x 21 cm
N.º Páginas: 64

Sinopse:

Amor Carnal é uma viagem multidimensional pelos vários tipos de amor – menos admitidos -, tão necessários à verdadeira vivência pessoal e, pela natureza, passíveis de se tornarem um vício.

A vida é, muitas vezes, um vício – pode ser – que sem que saibamos, ou admitamos, nos arrebata e faz sentir que cada dia vale a pena; cada dia é vivido com a intensidade que merece – que cada um de nós merece.

Sem pudor, medo e focado no prazer, umas vezes imediato, outras constantemente transgressor, esta é uma obra que o convida a permitir-se emaranhar numa droga natural: Amor Carnal.

Prefácio:

Por Pedro Chagas Freitas*

Quando o excesso está na medida certa

Só há dois tipos de obras de arte: as excessivas; e as que não são obras de arte. A arte é – tem de ser – por definição excessiva. E é só em excesso que a arte, como a vida, vale a pena. Sem excesso, a vida seria uma sequência interminável (terminável apenas aquando do derradeiro) de bocejos. Sem excesso, a arte seria uma sequência interminável de nada. E nada mais nada perfaz, não é preciso ser especialista em matemática para o perceber, nada. Rigorosamente nada.

Nada mais simples: a obra que está prestes a ler é excessiva. Extravagantemente excessiva. Excessivamente excessiva. É excessiva na substância – que agarra sexo e ternura a uma só mão e os atira, como arma de arremesso (como arma sem medo), à cara do leitor. Sim: à sua cara.

Mas esta obra não é só excessiva na substância; não: esta obra é também excessiva na voz do autor, no estilo do autor – que inventa, reinventa e torna a inventar. Sempre – e é esse o grande mérito desta deriva estilística – com coerência estranhamente real. Uma coerência caótica que faz com que o leitor abra e feche a boca vezes sem conta. E, realce-se, sem ser para bocejar.

Não direi, aqui, que esta é uma obra-prima. Mas também não direi, desengane-se quem o sequer ventilar, que esta não é uma obra-prima. Porque as obras-primas, qualquer burro o sabe, não são construídas por quem as cria – mas sim por quem as vê e sente e agarra e devora e faz delas aquilo que bem lhe entender.

Digo apenas, assim, para se deixar levar pelas linhas e letras e brincadeiras e sobes e desces e desces e sobes sem parar. Digo ainda para não temer o que não domina, para tentar dominar o que lhe foge da mão. E ainda mais: ainda lhe digo que deixe que seja o sexo, o do cérebro e não o do corpo, que leia esta obra. Leia esta obra com tesão. É esse o meu pedido principal: leia esta obra com tesão. Vai ver que ela não o vai deixar ir abaixo. É sempre assim, com um obsceno tesão de cérebro, que a arte se faz.

É sempre assim, enfim, quando o excesso está na medida certa.

*PEDRO CHAGAS FREITAS é escritor, orador e professor de escrita. Será um dos oradores principais da ISCS Conference, uma das mais importantes conferências mundiais na área do Retalho – que decorrerá em Abril de 2012 em Berlim, Alemanha, e que reunirá mais de 700 altos quadros de algumas das maiores multinacionais do Globo. Tem 17 obras publicadas, entre ficção, filosofia, crónica, biografia, história e humor. É um fabricante de ideias. Liderou redacções e equipas criativas. Criou artigos de jornal, guiões, anúncios, slogans e programas de rádio. Foi nomeado para vários prémios literários de nível nacional. Desde 2001 que é coordenador de sessões de escrita criativa um pouco por todo o país. Tem vindo a coordenar e a levar ao terreno palestras, seminários e workshops um pouco por todo o país. É solteiro em comunhão de bens.

Excerto:

Pergunto-me porque raio tens a mania de lançar esse olhar quando passo por ti, em direção ao elevador: é um convite?

Penso que em breve vou dar-te uma valente trancada, contra a parede do lado direito (do elevador), violentamente, e vais gostar: sem dúvida; certeza: ainda não.

Atiro-te, carrego num andar qualquer, dou um biqueiro no painel e ficamos ali: parados, em puro êxtase; depois quero ver o teu olhar a falar com o meu, quero penetrar-se essa alma, sem dó.

Quando deres por ti (darás?), serás outra pessoa: jamais a mesma. Irei ver-te de outra forma, uma tipa consumida, como que carne para canhão, mas sem pólvora, rastilho ou o que seja. Não te esqueças de correr, amedrontada – e a querer mais –, para aquele gajo, com quem partilhas o apartamento e dás gritinhos a meio da noite que até metem nojo.

As coisas devem ser bem-feitas, com afinco, sem medo e com perseverança: chegar e conquistar, tomar as forças inimigas, ocupar o território, colocar tudo a funcionar e dizimar os insurgentes. É isso, sem tirar nem pôr.

Se o teu covil fosse uma monarquia, deporia o rei: tomarte-ia; assim, tomo-te e dilacero-te a alma, conquisto o teu olhar e preencho-te comigo, apenas.

Passas por mim e eu nem te cumprimento, tens de aprender a ser fiel ao teu verdadeiro rei.

Booktrailer:

Anúncios