Lasciva

Poema - lasciva

Não estou contigo,
Sinto-me em ti,
Estás perdida no sofá da luxúria,
O reduto do prazer bilateral.

Por detrás da máquina fotográfica,
Perdido no meu imaginário:
O meu mundo das fantasias.

Porque te recusas a olhar-me?
Porque não me vês?

Continuas a olhar para o infinito,
Da forma lasciva que te caracteriza,
Pensas-te sozinha:
Estás acompanhada!

Capturo este momento,
Eternizo-te (nos),
Neste momento presente,
Cristalizado até ao infinito.

Porque te recusas a olhar-me (te)?
Porque não me (te) vês?

Anúncios